GERAL

Procon de Schroeder alerta sobre golpe do empréstimo fácil



Um golpe que vem sendo aplicado e que acende o alerta, informa o Procon de Schroeder, é o golpe do empréstimo fácil. A diretora do órgão, Nadiete Marcílio, chama a atenção e pede para que a população não forneça dados pessoais e bancários a estranhos e, ainda, não faça nenhum depósito como “garantia” de liberação de empréstimo pessoal.

Ela explica que, nessa nova modalidade, os golpistas atraem as vítimas por meio das redes sociais, prometendo facilidade de acesso a empréstimos pessoais. Depois, solicitam diversos documentos e dados bancários via WhatsApp e, para finalizar, pedem para que o consumidor deposite um determinado valor na conta do banco. “Mas, cai em uma conta de pessoa física e, alegam que serve para liberar o empréstimo. Na sequência, pedem novamente e assim eles cometem o golpe”, explica.

A coordenadora orienta os consumidores a não realizarem nenhum tipo de transação porque, nesses casos, o Procon sequer consegue agir. “O consumidor acaba perdendo dinheiro e o que pode fazer é informar o banco para que eles façam uma investigação interna e tentem rastrear e registrar boletim de ocorrência na polícia, mas acaba perdendo o dinheiro depositado”, alerta.

Compras pela internet? Procon dá dicas para evitar sites fraudulentos 

As inúmeras restrições de serviços e estabelecimentos comerciais e o isolamento social imposto para a prevenção ao coronavírus fizeram com que as compras pela internet se tornassem um hábito ainda mais recorrente na vida das pessoas. Apesar de o e-commerce já ser um nicho em expansão, a realidade da pandemia potencializou ainda mais esse segmento e, com isso, aumentaram também os casos de fraude.

De acordo com a diretora do Procon de Schroeder, Nadiete Marcílio, o órgão tem registrado um aumento significativo no número de reclamações relacionadas a esse tipo de compra. “A nossa orientação é que o pessoal cuide com os sites fraudulentos, com os sites nos quais compram. A dica é comprar em sites que tem reputação, que são conhecidos, que tem dispositivos de segurança”, salienta.

A coordenadora orienta os consumidores a checarem a lista disponível no site do Procon de Santa Catarina. “Lá há uma lista de sites que devem ser evitados, que já tiveram reclamação e não conseguimos notificar porque são empresas falsas e, infelizmente, o consumidor perdeu o dinheiro ou o produto”, fala.

Além disso, Nadiete aponta o famoso site Reclame Aqui como um bom filtro. Outras dicas importantes são: checar os dados da empresa, como endereço fixo, telefone, CNPJ, site e verificar se há mais de uma opção de pagamento. “Desconfie quando o pagamento é disponibilizado apenas em boleto porque eles podem falsificá-lo. A maioria dos casos que chegou até o Procon são de empresas que só disponibilizaram boleto e o site era fraudulento”, ressalta.

Ela lembra, ainda, que o consumidor tem um período de até sete dias, a partir da data de recebimento, para desistir da compra ou solicitar a troca.

 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM