COLUNISTAS

Pet legal | Castração reduz superpopulação e impacta diretamente no bem-estar animal

A importância da castração vai muito além de evitar ninhadas indesejadas, o que é extremamente necessário para cessar o crescente abandono. O bem-estar está diretamente ligado ao procedimento cirúrgico, defendido pelos profissionais que atuam na saúde animal.

Os benefícios vão desde a redução de demarcação – que pode ser um grande problema – à diminuição da agressividade, das fugas, do risco de câncer e aumento da longevidade.

Jade saiu de Schroeder, onde foi adotada, para morar com a tutora, Andreia Viegas Garcia, em Joinville. Uma foto no Facebook postada pela Rutinha Protetora Pet foi o suficiente para fazê-la se apaixonar pela cachorra. No ato da adoção, já soube do mutirão de castração em Schroeder.


“Ela [Rute Feliciano, da ONG] me chamou quando teve a campanha. Foi tudo muito rápido [a castração], questão de minutos, bem tranquilo. Já no segundo dia, ela [Jade] estava caminhando, com as funções bem normais”, revela, acrescentando que a medicação pós-cirúrgica dura alguns dias.

Andreia observou que Jade passou a ficar mais calma após a castração e até os latidos diminuíram. Mas a tutora sabe que existem outros benefícios importantes, como evitar doenças e qualidade para viver mais. “Não temos mais que nos preocupar com o cio, época em que ocorrem fugas”, destaca.

A protetora Rute Feliciano explica que um casal de cães ou gatos pode gerar de 2 a 8 filhotes por vez. Com duas gestações por ano, é possível chegar a uma média de 12 filhotes. Ela afirma que a cirurgia é minimamente invasiva, a menos que o animal apresente algum problema, como infecção uterina, que geralmente aumenta o útero das fêmeas.

No entanto, exige cuidados pós-operatórios, especialmente com gatos, que gostam de alturas e logo querem subir em muros, árvores e outros lugares altos.

LEIA MAIS:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



COLUNISTAS  |   12/07/2021 14h25





COLUNISTAS  |   03/07/2021 09h18


COLUNISTAS  |   02/07/2021 09h16